domingo, 2 de janeiro de 2011

Imprevisto

Imprevisto

Acabou tão cedo...
Acabou o que não tinha que acabar
Sem começar... já findou.

O sonho era o começo da estrada,
Que não foi trilhada,
Estrada empoeirada.
Esburacada.
Planos estraçalhados, amores morrendo de fome...
Vou contratar uma passadeira,
Para engomar esse coração amarrotado.
Vou me recolher...
Fechar prá balanço,
Que a alma enlouquecida
Tem que descansar...
Como retirar a estrela que tatuei na alma?

Nenhum comentário:

Postar um comentário