domingo, 6 de fevereiro de 2011

Florbela

Silvana Pimentel Batista

Cheguei tarde no jardim dos labirintos.
Por que quis ver a maior videira do mundo?
Eu tenho que voltar lá.
O cisne quis ser meu amante...
E conversamos durante toda a noite.
Tirei até uma foto...
Eu e o cisne.
A sopa quente na cozinha do castelo,
Sorvia-me.

Ana Bolegna caminhou naqueles corredores, em companhia da morte,
Por 1000 noites.
Cavalguei em pêlo, por anos, enquanto fantasmas de metal, na garupa,  me mostravam o caminho dos ventos.
Caminhei até encontrar a libélula no meio da névoa.
Eu, flor.
Ela, bela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário